AGENDA PARA PLANEJAMENTO

sexta-feira, 27 de junho de 2014

LIÇÕES QUE APRENDEMOS NO DESERTO



A escola do deserto é a escola do quebrantamento, onde passamos a depender total e exclusivamente da graça de Deus e da sua provisão. Deus quer trabalhar em nossa vida antes de trabalhar através de nós. Não há mais EU, e sim Deus.
Como disse Paulo: “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.”               (II Coríntios 12:9)

Destacaremos, aqui, três verdades importantes:

1. Na escola do deserto aprendemos que Deus deseja que tenhamos intimidade com ele.

É verdade que Deus nos leva para o deserto para falar-nos ao coração. Não para nos humilhar ou destruir, mas para nos restaurar, mesmo que não entendamos.

Ele quer nos mostrar que está mais interessado em nossa vida, em quem somos do que em nosso trabalho. Li recentemente que motivação é mais importante do que realização. Nossa maior prioridade não é fazer a obra de Deus, mas ter intimidade com o Pai. Conhecê-lo profundamente, e quanto mais o conhecemos mais o amamos.

2. Na escola do deserto aprendemos a depender inteiramente do Senhor.

No episódio com o profeta Elias quando ele saiu do palácio do rei e foi enviado para o deserto o Senhor o alimentou através dos corvos e da fonte de Querite. Ali o profeta teria que depender mais do provedor do que da provisão. E Deus não o desamparou em nenhum momento. Era o Senhor o ensinando a depender exclusivamente D’ele. Do seu amor e cuidado. Da sua provisão.

Na verdade o profeta não tinha escolha, ou ele dependia ou pereceria.

Muitas vezes é assim que nos encontramos, parece que estamos caindo de cima de uma rocha muito alta por termos sidos empurrados, não temos escolha, só nos entregar e esperar que uma águia venha e nos sustente com suas asas, pois é assim que as águias fazem para ensinar os seus filhotes a voar. E assim é Deus, que sempre aparece quando parece não ter mais saída para nós. Nos sustenta com suas asas protetoras e jamais nos deixa cair.

O Senhor sempre sabe onde estamos, para onde devemos ir, o que devemos fazer. No seu kairós o Pai entra com recursos. “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho...(Gal.4:4). É difícil a espera, mas não temos outra escolha, apenas confiar. Assim é na escola do deserto.

3. Na escola do deserto aprendemos que Deus nos treina para nos usar em sua obra

Não é sem sentido a nossa passagem pelo deserto. Temos que confiar que o Senhor tem um propósito nessa lição a qual somos forçados a aprender. Quando nos encontramos lá não entendemos o motivo. Sempre questionamos se vai demorar muito, quando sairemos, enfim, ninguém gosta ou está preparado para escola do deserto, mas é certo que se Deus quer usar a sua vida para a glória do seu Nome, mais cedo ou mais tarde você terá essa lição em sua vida.

Todas as pessoas que foram treinadas por Deus no deserto foram usadas pelo Altíssimo. Moisés passou pelo deserto e libertou o povo da escravidão o encaminhando á terra prometida.

O apóstolo Paulo passou três anos no deserto da Arábia e foi o maior líder do Cristianismo.

Elias passou pelo deserto e pode enfrentar o rei Acabe trazendo toda a nação a presença do Senhor.

Todas as pessoas que foram treinadas por Deus no deserto foram grandemente usadas por Deus. Quanto mais intenso é o treinamento, mais podemos ser instrumentalizados pelo Altíssimo.

O próprio Jesus Cristo também enfrentou o deserto, mesmo sendo Deus, pois sabia o quanto seria necessário passar por esse momento em sua vida pelo que teria que enfrentar. Resgatar da morte os seus escolhidos, os amados do Senhor. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)
Deus tem um objetivo quando nos leva ao deserto, nos equipar e nos usar com graça e poder em sua obra. Pode ser um momento de muito sofrimento, mas nunca estamos sozinhos nessa jornada, por isso não precisamos ter medo. ...E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos, (Mateus 28:20b). Uma coisa é certa, Deus não desperdiça o sofrimento dos seus filhos. Ele é conhecedor de todas as nossas lágrimas. ” ...põe as minhas lágrimas no teu odre...” (Salmo 56:8)

Que saiamos de lá revestido pelo poder do seu Espírito e preparados para o que o Senhor tem para nós.

Sandra Cavalheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOCÊ VAI GOSTAR DE LER TAMBÉM

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *