AGENDA PARA PLANEJAMENTO

Mostrando postagens com marcador AULA EBD. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador AULA EBD. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 30 de novembro de 2022

A RESTAURAÇÃO NACIONAL E ESPIRITUAL DE ISRAEL


 I - SOBRE O SIGNIFICADO DO VALE DE OSSOS SECOS

1. Os ossos secos (w. 1,2). 2. 0 Significado. 3. As promessas de Deus. Deus abençoe a sua vida grandemente. SINOPSE I A restauração de Israel é necessária porque se trata de uma promessa divina. II - SOBRE A DISPERSÃO DOS JUDEUS ENTRE AS NAÇÕES 1. As diásporas de Israel e Judá 2. Renasce Israel. 3. Restauração nacional (vv.6-8). SINOPSE II Israel experimentou duas diásporas, ou seja, duas dispersões. A primeira aconteceu com os assírios e babilônios; a segunda, com os romanos. III-SOBRE O MILAGRE DO SÉCULO XX 1. 0 testemunho de Deus para o mundo. 2. O status de Jerusalém entre as nações. 3. Restauração espiritual. SINOPSE III O renascimento de Israel como nação soberana é um dos maiores milagres do século XX. Isso é uma prova da fidelidade de Deus e da veracidade da Bíblia. CONCLUSÃO Nem mesmo as duas diásporas dos judeus e as constantes perseguições promovidas pelos antissemitas puderam neutralizar as promessas divinas. Israel sobreviveu a todas as intempéries da vida e existe como nação soberana desde 1948. A visão do vale de ossos secos revela , o poder e a misericórdia de Deus em restaurar o seu povo Israel e transformá-lo em uma nação soberana e poderosa no meio da Terra.




terça-feira, 22 de novembro de 2022

GOGUE E MAGOGUE:UM DIA DE JUÍZO


I - SOBRE A IDENTIDADE

DOS POVOS INVASORES (PARTE 1) 1.Os invasores (38.6; 39.2). 2.Compreendendo a profecia. 3.Gogue (38.2a; 39-1a). SINOPSE I O capítulo 39 de Ezequiel descreve a derrocada de Gogue e os seus confederados. Gogue se refere a um líder semelhante ao “Faraó’’ “Xá” ou “César”. II - SOBRE A IDENTIDADE DOS POVOS INVASORES (PARTE 2) 1- Magogue (38.2b; 39.1b, 6a). 2- Meseque e Tubal (38.2c; 39.1c). 3- A coalização de Gogue (38.5). SINOPSE II No livro de Ezequiel, Magogue aparece como um lugar, um território. III - SOBRE O CONTEXTO ESCATOLÓGICO 1- Gogue e Magogue 2- Como a Rússia aparece nesse contexto? 3- Origem da interpretação SINOPSE III O contexto escatológico confirma que os inimigos de Israel serão derrotados porque Deus está do lado do seu povo. CONCLUSÃO É importante saber que a invasão de Gogue e o seu bando à terra de Israel é distinta da batalha do Armagedom, pois o ataque de Gogue será após a restauração de Israel, antes ou logo depois de começar a Grande Tribulação ao passo que o Armagedom se dará no final desse período. Cabe também ressaltar que essa invasão não é a mesma rebelião de “Gogue e Magogue” (Ap 20.8), pois a profecia empresta de Ezequiel esses nomes.

Deus abençoe a sua vida grandemente. ✅Link do Ebook Ministério Feminino - https://bit.ly/3ANQhEa Agenda de Planejamento para se organizar em seu Ministério Infantil - Mais de 50 páginas.https://bit.ly/3HKAFmD


 Slides

quarta-feira, 16 de novembro de 2022

Lição 8 - O bom pastor e os pastores infiéis

 

                                 Clica aqui para assistir

0 BOM PASTOR E OS PASTORES INFIÉIS - LIÇÃO 8 I - SOBRE O REBANHO 1. Ovelhas 2. Natureza. 3. O rebanho. 4. Os pastores. SINOPSE I O rebanho nas Escrituras pode ser identificado com o povo de Israel e a Igreja de Cristo. II - SOBRE OS PASTORES INFIÉIS 1- 0 pastor de ovelhas. 2- 0 que os governantes faziam (w.2,3)? 3- 0 que os governantes não faziam (vv.4,8)? 4- As ovelhas dispersas (vv. 5,6). SINOPSE II A atuação dos pastores infiéis tem como consequência trágica a dispersão das ovelhas. III - SOBRE O BOM PASTOR 1- A reação divina contra os maus pastores (vv.10-12). 2- Jesus, 0 bom Pastor. 3- 0 pastor cristão SINOPSE III Jesus como o Bom Pastor é o verdadeiro modelo do pastor cristão. CONCLUSÃO O comportamento do ser humano se compara em muitos aspectos aos das ovelhas e, por essa razão, Deus nos chama nas Escrituras de ovelhas. Há entre elas aquelas que dão marradas umas nas outras para marcar território, o que não é diferente entre nós, seres humanos. Há competições entre as ovelhas (Ez 34.20-22). Isso desagrada a Deus. 0 nosso relacionamento entre os irmãos deve ser de maneira que glorifique a Deus (Sl.133.1; 1 Co 10.31).


Slides Deus abençoe a sua vida grandemente. ✅Link do Ebook Ministério Feminino - https://bit.ly/3ANQhEa Agenda de Planejamento para se organizar em seu Ministério Infantil - Mais de 50 páginas. ✅https://bit.ly/3HKAFmD


terça-feira, 8 de novembro de 2022

A Responsabilidade é Individual

 




I - SOBRE A MÁXIMA USADA EM ISRAEL
1- Uma máxima equivocada. 2- Jeremias e Ezequiel trataram do assunto. 3- . O problema em nosso tempo. SINOPSE I A máxima popular “Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram” remetia à ideia de que os filhos pagariam os pecados dos pais. II - SOBRE A SALVAÇÃO PARA TODOS OS SERES HUMANOS
1- Há esperança para o pecador (vv. 21,22,23). 2- Refutando um pensamento fatalista (v.20). 3- Duas situações (vv.2,22,24). SINOPSE II O ensino no livro de Ezequiel revela que a salvação está disponível a todos. III - SOBRE A REAÇÃO DE ISRAEL
1- Uma pergunta retórica (v.25). 2- Sobre a justiça. 3- 0 arrependimento (vv. 27,28). SINOPSE III Acusação dos exilados em Babilônia contra Javé, seu Deus, de injustiça, se reverte contra eles mesmos. CONCLUSÃO
Depois de refutar o imaginário popular de que Deus estivesse sendo injusto pelo castigo do povo, o profeta chama os seus leitores para uma reflexão. Esse discurso soteriológico é muito importante e continua atual na vida da igreja e na pregação cristã.

É nossa responsabilidade levar essa mensagem aos perdidos da terra. Deus abençoe a sua vida grandemente.






sexta-feira, 4 de novembro de 2022

A Justiça de Deus - Lição 6

 


I - SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DO JUÍZO DIVINO

1- 0 discurso profético. 2- Aprimeira parte do oráculo (v.13). 3- Descrição dos agentes do juízo divino (vv.17,21). SINOPSE I Deus não executa o seu juízo sem uma justa causa nem mesmo sem um prévio aviso. II - SOBRE A PETIÇÃO QUE DEUS NÃO ATENDE

1- Exemplos de intercessão pelo pecador. 2- Um castigo inevitável. 3- Quando Deus não atende a oração intercessória de um justo. SINOPSE II Na Bíblia, encontramos exemplos de orações intercessórias de justos que Deus não atende: Os de Moisés e Samuel; os de Noé, Daniel e Jó. III - SOBRE A INTERCESSÃO DE NOÉ, DANIEL E JÓ

1- . Por que o povo rejeitou os profetas? 2- “Noé, Daniel e Jó” (w.14,20) 3- 0 profeta Daniel. SINOPSE III Segundo a mensagem de Ezequiel, Deus não é obrigado a tolerar o pecado do povo por causa dos justos da cidade. Conclusão Conscientes de que o enfoque da justiça de Deus nesse discurso de Ezequiel diz respeito à retribuição divina ao pecado. É importante ter em mente esse conceito para não se confundir com a justiça da teologia paulina, que justifica o pecador que crê em Jesus. Deus abençoe a sua vida!

DINÂMICA O PODER DA ORAÇÃO

DINÂMICA METANOIA

SLIDES



quarta-feira, 26 de outubro de 2022

Contra os Falsos Profetas - lição 5


 

I-SOBRE OS PROFETAS 1. O termo “profeta”. 2. Outros termos para designar os profetas de Deus. 3. Os falsos profetas. SINOPSE I Além do termo “profeta’’ há outros que a Bíblia apresenta para esse ofício: mensageiro, embaixador, servo de Deus e do Senhor. II - SOBRE OS FALSOS PROFETAS EM EZEQUIEL 1. Os dois lados. 2. Apresentação (v.2) 3.0 desserviço dos falsos profetas (v.3). 4. As “raposas do deserto” (v.4) SINOPSE II Assim como há profetas legítimos enviados por Deus, há falsos profetas provenientes da parte de Satanás. III - SOBRE A GERAÇÃO DAS MENSAGENS FALSAS 1.0 profeta no Antigo Testamento. 2. Os portadores de mensagens falsas (w.6-8). 3. A ira de Deus contra os falsos profetas (v.10) SINOPSE III No AT, a palavra “profeta’’ quando se refere ao legítimo, aparece com a expressão qualificativa tal como “mensageiro de Deus”. CONCLUSÃO O apóstolo Pedro deixa claro que onde há o verdadeiro há também o falso como aconteceu em Israel entre os profetas e isso haveria de acontecer também na igreja (2 Pe 2.1). O boato é a propagação de uma notícia infundada, não oficial e de fonte desconhecida. O contexto mostra que divulgar informação enganosa é associação com o ímpio para se tornar falsa testemunha. Mesmo as coisas triviais do dia a dia podem terminar na justiça, pois elas destroem a reputação de qualquer pessoa. Deus abençoe a sua vida!

SLIDES

DINÂMICA: SILÊNCIO PARA OUVIR A DEUS

DINÂMICA: A QUEM VOCÊ OUVE?



quarta-feira, 19 de outubro de 2022

QUANDO SE VAI A GLÓRIA DE DEUS - LIÇÃO 4

 


I - SOBRE A GLÓRIA DE DEUS

1. 0 significado de “glória”. 2. A glória de Deus. SINOPSE I A expressão “glória de Deus” aparece no livro de Ezequiel como presença de Deus. II - SOBRE A RETIRADA DA GLÓRIA DE DEUS 1. 0 querubim e a nuvem (9.3; 10.4). 2. A retirada da presença de Deus 3. Por fim a glória de Deus se pôs sobre o Monte das Oliveiras (11.23). SINOPSE II A retirada da glória se deu mediante a retirada do querubim da Arca da Aliança, deslocando--se para o Monte das Oliveiras. III- SOBRE O SEGUNDO TEMPLO 1. O segundo Templo 2. 0 Templo de Herodes. 3. A presença do Filho de Deus. SINOPSE III Não há registro no Antigo Testamento de que a glória do Senhor tenha enchido a segunda Casa. O Senhor Jesus a trouxe ao ministrar no Templo. IV - SOBRE O SENHOR JESUS E O TEMPLO 1. Explicação teológica 2. 0 fim do Templo 3. A presença de Deus hoje SINOPSE IV A glória do Senhor deixou a primeira e a segunda Casa. Mas a segunda Casa foi substituída definitivamente pelo Senhor Jesus. CONCLUSÃO Em ambos os casos, tanto em Ezequiel como em Jesus, ambas gerações rejeitaram a Deus. No Antigo Testamento, substituíram Javé pelos ídolos e nos Evangelhos, substituíram a Justiça de Deus pela sua própria justiça: “não conhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus” (Rm 10:3).


SLIDES

DINÂMICA  ZERANDO TUDO

DINÂMICA ARREPENDEI-VOS


Deus abençoe a sua vida grandemente.

LIÇÃO 3 - AS ABOMINAÇÕES DO TEMPLO

 



LIÇÃO 3 - AS ABOMINAÇÕES DO TEMPLO

I - SOBRE A VISÃO 1. A segunda visão. 2. As visões das abominações do Templo. 3. Como entender as visões de Deus? SINOPSE I A visão das abominações do Templo destoa das demais visões do profeta Ezequiel e de outros profetas do Antigo Testamento. II - SOBRE AS ABOMINAÇÕES (PARTE 1) 1. A imagem de ciúmes (v.5 ) 2. O culto aos animais e aos répteis (v.10). 3. Os setenta anciãos (v.11). SINOPSE II As abominações estão ligadas aos ídolos. A afronta maior a Deus é o fato de elas serem praticadas na Casa de Deus. III – SOBRE AS ABOMINAÇÕES (PARTE 2) 1. O ritual de Tamuz (v.14) 2. Os adoradores do sol (v.16). 3. Os anciãos na casa do profeta. SINOPSE III Tamuz era de Osíris pelos egípcios; o sol era cultuado na Babilônia e no Egito. CONCLUSÃO Aprendemos, com as quatro cenas do pecado cúltico, que um Deus Santo não tolera o pecado. Deus exige fidelidade de seu povo. O que aconteceu com Israel nos ensina sobre a responsabilidade na santidade com a adoração e o estilo de vida também para os dias atuais pelos crentes em Jesus. Deus abençoe a sua vida!


SLIDES

DINÂMICA DOIS SENHORES

DINÂMICA DEUS E MAMOM



Lição 02: Vem o Fim | 4° Trimestre De 2022

 

Lição 02: Vem o Fim | 4° Trimestre De 2022

I – SOBRE A PROFECIA 1- Introdução 2- Extensão 3- Quando? SINOPSE I O profeta Ezequiel anuncia a hora do acerto de contas de Judá e Jerusalém com o Deus Javé. II – SOBRE O FIM 1- Sentido (vv.2b, 3a, 6). 2- Expressões repetidas sobre o fim. 3- A repetição da sentença. SINOPSE II O capítulo 7 traz uma série de expressões e sentenças que confirmam o sentido de destruição total no fim. III – SOBRE O INIMIGO 1- ”Já floresceu a vara” (v.10). 2- ”Reverdeceu a soberba” (v.10b). 3- O rei Nabucodonosor. 4- A Babilônia. SINOPSE III O versículo 10 dá uma pista a respeito da identidade do inimigo que vai causar todo o mal sobre Jerusalém: o rei Nabucodonosor. CONCLUSÃO
Os julgamentos divinos na história mostram que o pecado jamais ficará impune e que a única maneira de escapar da condenação é através do arrependimento e da fé. Israel não tinha desculpa, não podia alegar ignorância, pois o povo dispunha de Moisés, do ensino dos antigos sábios, da revelação dos profetas e do conselho dos sacerdotes. O apelo dramático de Ezequiel é um exemplo clássico dessa verdade.



quarta-feira, 28 de setembro de 2022

Ezequiel, o Atalaia de Deus

 


I – SOBRE O LIVRO DE EZEQUIEL 1. Primeira Parte. 2. Segunda Parte. 3. Terceira Parte. SINOPSE I O Livro de Ezequiel pode ser dividido em três partes principais: A PRIMEIRA parte, capítulos 1-24; SEGUNDA, capítulos 25-32; E TERCEIRA, capítulos 33-48. II – SOBRE O PROFETA 1. Identidade. 2. Procedência. SINOPSE II O nome do profeta Ezequiel sig­nifica ”fortalecido por Deus”. Ele era de Jerusalém e pertencia a uma família de sacerdotes. III – SOBRE O ATALAIA 1. Atalaia 2. O Fim dos Dias. 3. O filho do Homem. 4. O Atalaia sobre a Casa de Israel. SINOPSE III Atalaia significa ”lugar alto”: Era a função com o propósito de avisar a respeito do perigo. O profeta Ezequiel era o atalaia de Deus. IV – SOBRE A CASA DE ISRAEL. 1- A Responsabilidade 2. A Responsabilidade do ímpio. 3. A Extensão de nossa Responsabilidade SINOPSE IV A responsabilidade do profeta como atalaia sobre Israel se as­semelha a nossa como cristãos, na qualidade de mensageiro da­ Boas-Novas de Cristo. CONCLUSÃO O nosso compromisso, diante de Deus, é pregar o Evangelho e não converter as pessoas, pois quem as converte é o Espírito Santo. O Senhor mandou-nos pregar a Palavra, como Deus falou ao profeta: ”quer ouçam quer deixem de ouvir” (2.5,7); continue anunciando a mensagem! É o que devemos fazer com oração, guiados pelo Espírito Santo.


DINÂMICAS NO VÍDEO Deus abençoe a sua vida!


terça-feira, 20 de setembro de 2022

Resistindo as sutilezas de satanás

 



LIÇÃO 13 - RESISTINDO AS SUTILEZAS DE SATANÁS

I – COMPROMETIMENTO COM UMA VIDA CENTRADA EM CRISTO 1- Cristo, o Salvador. 2- Cristo, o Senhor. SINOPSE I É preciso estar comprometido com Cristo, o Salvador e o Senhor. II – COMPROMETIMENTO COM AS ESCRITURAS 1- Bíblia, a revelação de Deus. 2- Bíblia, regra de fé e conduta. SINOPSE II Comprometer-se com a Bíblia é tê-la como revelação de Deus, considerando-a única regra de fé e conduta. III – COMPROMETIDOS COM UMA VIDA CHEIA DO ESPÍRITO 1-O Espírito Santo no plano da redenção. 2- A vida cheia do Espírito. SINOPSE III É preciso buscar uma vida cheia do Espírito em que somos conduzidos e dirigidos por Ele. IV – COMPROMETIMENTO COM A IGREJA LOCAL 1- A Igreja como o Corpo de Cristo. 2- O lugar e a importância de cada membro na Igreja. SINOPSE IV É preciso comprometer-se com a Igreja como o Corpo de Cristo. CONCLUSÃO Nosso propósito foi mostrar os ataques sutis de Satanás contra a Igreja e destacar as estratégias para o povo de Deus permanecer firme na resistência contra o Adversário. Sabemos que os dias são difíceis, mas o Espírito Santo é o guia e o auxiliador da Igreja.




Deus abençoe sua vida!




quarta-feira, 14 de setembro de 2022

Estudo A Sutileza da Espiritualidade Holística

 



ESTUDO - 12 LIÇÃO 3 TRI 22 A SUTILEZA DA ESPIRITUALIDADE HOLÍSTICA 

I – O FENÔMENO RELIGIOSO 

1- A busca do sagrado. 

2- Deus e os deuses. 

SINOPSE I 

O fenômeno religioso está ancorado nas necessidades mais profundas do ser humano na busca pelo sagrado. 

II – A ESPIRITUALIDADE HUMANA E SUA NECESSIDADE DE EXPRESSÃO 

1- O antigo paganismo. 

2- O misticismo oriental. 

SINOPSE II O antigo paganismo e o misticismo oriental revela a necessidade da expressão da espiritualidade humana 

III – O FUNDAMENTO DA ESPIRITUALIDADE HOLÍSTICA 

1- Não há um Deus pessoal. 

2- Não há uma verdade factual. 

SINOPSE III 

A ausência de um Deus pessoal e a ausência de uma verdade factual são os fundamentos da espiritualidade holística. 

IV – A ESPIRITUALIDADE HOLÍSTICA E A BÍBLIA 

1- O problema do pecado. 2- Um Salvador Pessoal. 

SINOPSE IV 

A realidade do pecado e a perspectiva de um salvador pessoal mostram a fraqueza da espiritualidade holística. 

CONCLUSÃO 

Essa espiritualidade pagã promove o falso culto e, portanto, a falsa adoração. Essa nova modalidade religiosa não prega o arrependimento, a fé, nem tampouco a conversão a Deus. Deve, portanto, ser rejeitada. Estejamos atentos para essas falsas espiritualidades que seduzem os incautos e aprisionam as vidas de quem não conhece o Senhor Jesus. 

Deus abençoe a sua vida!






sexta-feira, 9 de setembro de 2022

A SUTILEZA DAS MÍDIAS SOCIAIS

 


I – OS CRISTÃOS NA ERA DIGITAL 

1- A realidade do universo on-line. 

2- Cristãos conectados. 

SINOPSE I 

O universo online está presente em nossas vidas e muitos cristãos estão conectados nele. 

II – OS DESAFIOS DE SER IGREJA NA ERA DIGITAL 

1- Desumanização. 

2- Mundanismo. 

SINOPSE II 

O desafio dos cristãos no universo online passa pelos perigos da desumanização e do mundanismo. 

III- A IGREJA E OS PECADOS VIRTUAIS 

1- Sensualismo. 

2- Narcisismo. 

SINOPSE III 

A sensualidade e o narcisismo são dois pecados comuns no ambiente virtual. 

IV- AS MÍDIAS SOCIAIS E O IDE DE JESUS 

1- A seara virtual. 

2- Pastoreio virtual. 

SINOPSE IV 

Há nas mídias sociais uma seara fértil para a evangelização e o pastoreio de vidas por meio da interação. 

CONCLUSÃO 

Vimos como o virtual pode se tornar um espaço perigoso, em que o pecado ganha proporções assustadoras, mas, sobretudo, como ele pode se converter num terreno fértil no qual a semente da Palavra de Deus pode ser semeada. Se o Diabo usa as redes sociais para espalhar suas mentiras e fomentar o pecado, a igreja deve usar esse espaço para semear a verdade, proclamar o arrependimento e implantar o Reino de Deus. 

SILDES

DINÂMICA NOSSAS ESCOLHAS

DINÂMICA QUAL TEM SIDO SUA ESCOLHA?


Deus abençoe a sua vida!


A SUTILEZA CONTRA A PRÁTICA DA MORDOMIA CRISTÃ

 


A SUTILEZA CONTRA A PRÁTICA DA MORDOMIA CRISTÃ

I- CONHECENDO O EVANGELHO DA BARGANHA 

1- Dízimos e ofertas como moeda de troca. 

2- Dízimos e ofertas como práticas legalistas. 

SINOPSE I 

A entrega dos dízimos e das ofertas não é barganha com Deus nem prática legalista. 

II – A DOUTRINA BÍBLICA DO DÍZIMO SOB ATAQUE 

1- O dízimo era uma prática da lei. 

2- O dízimo como contribuição imposta. 

SINOPSE II 

O ataque contra a doutrina bíblica do dízimo muitas vezes esconde o pecado da avareza. 

III – A DOUTRINA BÍBLICA DA MORDOMIA CRISTà

1- Deus, o criador e provedor.

2- O homem como despenseiro e administrador das coisas de Deus. 

SINOPSE III 

A doutrina bíblica da mordomia cristã está fundamentada em Deus como provedor e o homem como seu despenseiro. 

CONCLUSÃO 

Vimos a doutrina da mordomia no contexto bíblico, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento. Ela é bíblica e como tal deve ser exercida por cada crente fiel a Deus. Dentro desse contexto, mostramos que a prática do dízimo e das ofertas é fundamentada em princípios bíblicos imutáveis e como tal deve ser observada e obedecida pelo crente que é fiel a Deus e que sente gratidão por tudo aquilo que Deus fez por ele. Entregar o dízimo e ofertar na obra de Deus são privilégios dispensados aos que são membros do Corpo de Cristo. 

Deus abençoe a sua vida!

A SUTILEZA DO MOVIMENTO DOS DESIGREJADOS


A SUTILEZA DO MOVIMENTO DOS DESIGREJADOS
LIÇÃO 9

I- VISÃO E PRÁTICA DO MOVIMENTO DOS DESIGREJADOS

1- Um ensino anti-institucional.
2- Um ensino anticlerical.

SINOPSE I

O movimento dos desigrejados é anti-institucional e anticlerical, ou seja, rejeita qualquer grau de organização e liderança.

II–A NATUREZA DA IGREJA NEOTESTAMENTÁRIA

1- Um organismo.
2- Uma organização.

SINOPSE II

A igreja do Novo Testamento é um organismo vivo, bem como
uma organização.

III – A IMPORTÂNCIA E A NECESSIDADE DA IGREJA

1- A Igreja como família de Deus.
2- A Igreja como testemunha da salvação.

SINOPSE III
A Igreja é a família de Deus; testemunha da salvação em Cristo.

Conclusão

Os desigrejados acreditam ser possível ser igreja fora da Igreja. Há o mito de que uma verdadeira Igreja não possui organização alguma e, consequentemente, não há liderança estabelecida. De acordo com o Novo Testamento, sim, a igreja possui liderança estabelecida e conta com estrutura organizacional estabelecida. O objetivo não é honrar e glorificar o homem, mas exaltar o Senhor Jesus Cristo e cumprir a missão para a qual Ele nos chamou. Deus abençoe a sua vida!


Deus abençoe sua vida!
 

quinta-feira, 18 de agosto de 2022

A SUTILEZA DO ENFRAQUECIMENTO DA IDENTIDADE PENTECOSTAL

 


I – O PENTECOSTES BÍBLICO 1- O Espírito prometido. 2- O Espírito derramado. SINOPSE I O Pentecostes Bíblico está ancorado na promessa do derramamento do Espírito Santo e no cumprimento dessa promessa. II – O DISTINTIVO PENTECOSTAL DE NOSSA IGREJA 1- A atualidade dos dons espirituais. 2- As línguas como evidência. SINOPSE II A atualidade dos dons espirituais e as línguas como evidência inicial do Batismo no Espírito Santo são distintivos da identidade pentecostal. III – MANTENDO A CHAMA PENTECOSTAL ACESA 1- Fidelidade às Escrituras. 2- Exercício dos dons espirituais. SINOPSE III A fidelidade às Escrituras e o exercício dos dons são instrumentos espirituais para manter a chama pentecostal acesa e atual para a Igreja. CONCLUSÃO O Movimento Pentecostal possui sólida fundamentação Bíblica. Vimos também que, como um movimento do Espírito, o pentecostalismo está inserido dentro de certo contexto histórico. Isso o fez consciente de sua missão. Contudo, após um século do seu advento, o movimento passou a dar sinais de esfriamento. Não há dúvida de que o enfraquecimento doutrinário, e até mesmo desvios teológicos que negam a manifestação dos dons espirituais, está na gênese desse processo. Deus abençoe a sua vida! I – O PENTECOSTES BÍBLICO 1- O Espírito prometido. 2- O Espírito derramado. SINOPSE I O Pentecostes Bíblico está ancorado na promessa do derramamento do Espírito Santo e no cumprimento dessa promessa. II – O DISTINTIVO PENTECOSTAL DE NOSSA IGREJA 1- A atualidade dos dons espirituais. 2- As línguas como evidência. SINOPSE II A atualidade dos dons espirituais e as línguas como evidência inicial do Batismo no Espírito Santo são distintivos da identidade pentecostal. III – MANTENDO A CHAMA PENTECOSTAL ACESA 1- Fidelidade às Escrituras. 2- Exercício dos dons espirituais. SINOPSE III A fidelidade às Escrituras e o exercício dos dons são instrumentos espirituais para manter a chama pentecostal acesa e atual para a Igreja. CONCLUSÃO O Movimento Pentecostal possui sólida fundamentação Bíblica. Vimos também que, como um movimento do Espírito, o pentecostalismo está inserido dentro de certo contexto histórico. Isso o fez consciente de sua missão. Contudo, após um século do seu advento, o movimento passou a dar sinais de esfriamento. Não há dúvida de que o enfraquecimento doutrinário, e até mesmo desvios teológicos que negam a manifestação dos dons espirituais, está na gênese desse processo. DINÂMICA VENTO DO ESPÍRITO






Deus abençoe a sua vida!

sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Liçao 7 - A Sutileza da Relativização da Bíblia - Dinâmicas e Slides


                                               CLIQUE NA IMAGEM PARA ASSISTIR

 

Liçao 7 - A Sutileza da Relativização da Bíblia - Dinâmicas e Slides

I – A BÍBLIA E O ESPÍRITO DESTA ERA 1- A desconstrução. 2- O Relativismo. SINOPSE I O Espírito desta era contribui para a desconstrução e relativização da Bíblia. II- A BÍBLIA E O POLITICAMENTE CORRETO 1- A criação de uma narrativa. 2- A Criminalização da opinião. SINOPSE II Há uma formação de narrativa a respeito da Bíblia para criminalizar a opinião ancorada nos antigos postulados da fé cristã. III – A BÍBLIA E O OUTRO EVANGELHO 1- Uma nova metodologia. 2- Novas teologias. SINOPSE III O outro Evangelho promove novas metodologias de leitura da Bíblia e, consequentemente, novas teologias e modismos. IV – A BÍBLIA, SEMPRE ATUAL PALAVRA DE DEUS 1- Revelada por Deus. 2- Inspirada por Deus. SINOPSE IV A Bíblia é a Palavra de Deus porque foi revelada e inspirada por Ele. CONCLUSÃO
Vimos, portanto, nesta lição, que há toda uma narrativa com o propósito de desacreditar a Bíblia. Para os defensores desse novo modelo cultural, a Bíblia não passaria de um livro obsoleto, produto de uma época, e que, portanto, precisa ser atualizada. A Bíblia é a Palavra de Deus e, por isso, sempre será atual e relevante para a humanidade.






Deus abençoe a sua vida grandemente!

sábado, 6 de agosto de 2022

LIÇÃO 6 - EBD- A SUTILEZA DAS IDEOLOGIAS CONTRÁRIAS A FAMÍLIA

 


LIÇÃO 6 - EBD- A SUTILEZA DAS IDEOLOGIAS CONTRÁRIAS A FAMÍLIA I – FAMÍLIA, PROJETO DE DEUS 1- Uma Instituição Divina. 2- A Célula Mater da Sociedade. SINOPSE I

A família é uma instituição divina e, por isso, é a célula mater da sociedade. II – FUNDAMENTOS DA FAMÍLIA CRISTÃ 1- O casamento monogâmico e heterossexual. 2- O casamento indissolúvel e confessional. SINOPSE II

Monogamia, heterossexualidade e indissolubilidade são fundamentos da família cristã. III – A SUTILEZA DA NOVA CONFIGURAÇÃO FAMILIAR 1- Casamento entre pessoas do mesmo sexo. 2- Sexualidade não-binária. SINOPSE III

A nova configuração familiar se caracteriza pela normalização do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo e da sexualidade não-binária. IV – PRINCÍPIOS BÍBLICOS PARA UMA FAMÍLIA SÓLIDA 1- O papel dos pais. 2- O papel da igreja. SINOPSE IV

Os pais e a igreja têm papéis importantes na manutenção dos valores da família. CONCLUSÃO A família está sob ataque. Desvios sutis procuram desconstruir o projeto da família tradicional. Velhas práticas, como a do adultério, estão sendo “vendidas” para as famílias como normal e, até mesmo, necessário para “turbinar” o relacionamento. Um engodo do Diabo. Nesse contexto de desconstrução familiar, os pais devem, mais do que nunca, firmar e inculcar nos filhos os valores da fé que uma vez foi entregue aos santos.

Dinâmicas e slides abaixo:

SLIDES

DINÂMICA TOP PARA CASAIS

DINÂMICA - Faça os seus alunos pensarem e compartilharem em sala a sutileza dessa ideologia através de anúncios, programas de TV, redes sociais etc

DINÂMICA - Perguntar a respeito de experiência de culto doméstico e compartilhar essa realidade na vida de cada um. Deus abençoe a sua vida!

Lição 5 - A Sutileza do Materialismo e do Ateismo.

 


Lição 5 - A Sutileza do Materialismo e do Ateismo.

Deus abençoe a sua vida grandemente. I – COMPREENDENDO O MATERIALISMO E O ATEÍSMO O Materialismo. O Ateísmo. SINOPSE I

O Materialismo postula que a matéria é a única realidade que existe. O Ateísmo é a doutrina que nega a existência de Deus. II – RAÍZES DO MATERIALISMO E ATEÍSMO 1- A consequência do pecado. 2- A cegueira espiritual. SINOPSE II

O Materialismo e o Ateísmo são consequências diretas do pecado e da cegueira espiritual idealizada pelo deus deste século. III – PRESSUPOSTOS DAS DOUTRINAS MATERIALISTAS E ATEÍSTAS 1- Negação da existência de Deus. 2- Negação de que o homem é um ser singular. SINOPSE III

A negação da existência de Deus e a negação da singularidade do homem são os pressupostos do Materialismo e do Ateísmo. IV – RESPONDENDO AO MATERIALISMO E AO ATEÍSMO 1- Afirmando as verdades da Bíblia. 2- Fazendo uso correto da razão. SINOPSE IV

A Igreja se posiciona diante do Materialismo e do Ateísmo afirmando as verdades bíblicas e fazendo o uso correto da razão. CONCLUSÃO

Vimos que as ideologias do Materialismo e do Ateísmo têm se revigorado nestes últimos tempos como sutilezas do engano que procuram espreitar a Igreja de Cristo. Como crentes não podemos “fazer vista grossa” a essa realidade nem tampouco negá-la.


Abaixo segue slide e dinâmicas:

SLIDES

DINÂMICA: Cada aluno deverá escrever uma recordação de como costumava enxergar a Deus. Se houver tempo, compartilhar com a classe, apenas alguns.

DINÂMICA DO CORAÇÃO

DINAMICA O PESO DO PECADO

DINÂMICA OLHOS ESPIRITUAIS

DINÂMICA CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ

Deus abençoe a sua vida!

EBD LIÇAO 4 - A SUTILEZA DA BANALIZAÇAO DO DIVÓRCIO


 EBD LIÇAO 4 - A SUTILEZA DA BANALIZAÇAO DO DIVÓRCIO

I – O DIVORCIO NO CONTEXTO BÍBLICO 1- O divórcio no contexto do Antigo Testamento. 2- O divórcio no contexto do Novo Testamento.
SINOPSE I O divórcio está presente tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. II – A SUTILEZA DA NORMALIZAÇÃO DO DIVÓRCIO 1- O divórcio no seu aspecto legal. 2- O divórcio no seu aspecto moral. SINOPSE II O divórcio se dá na esfera legal e, ao mesmo tempo, moral. III – O DIVÓRCIO E A PRÁTICA PASTORAL 1- A pessoa do divorciado. 2- O divorciado como cristão. SINOPSE III É preciso cuidar das pessoas divorciadas, dando-lhes auxílios espiritual e psicológico. Tenho certeza que será uma benção em sua vida e da sua turma. Beijos e até a próxima! CONCLUSÃO Na atualidade há uma tendência entre os cristãos de enxergarem o divórcio com “normalidade”. Essa é uma postura perigosa, arriscada e, até mesmo, pecaminosa. Isso porque as Escrituras contêm princípios e preceitos que moldam os relacionamentos humanos. O casamento é uma instituição divina, que reflete o ideal de Deus.

DINÂMICAS E SLIDE ABAIXO:





Deus abençoe você grandemente,

Sandra Cavalheiro

VOCÊ VAI GOSTAR DE LER TAMBÉM

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *